Lito esclarece controvérsia com a equipa técnica da FCF

Lito esclarece controvérsia com a equipa técnica da FCF

by -
0

“Em resposta ao comunicado enviado ontem pela Federação Caboverdiana de Futebol, onde fui acusado de não estar a dizer a verdade venho por este modo e mediante a minha honra expor-vos os factos tal qual eles aconteceram”.

“No dia 27 de Janeiro de 2016, pelas 14 horas telefonei ao Sr. Beto, atual selecionador, a fim de tentar inteirar-me sobre a situação atual da equipa técnica. O Sr. Beto atendeu mas disse que estava numa reunião na Federação e que me ligava logo de seguida.

Tal não aconteceu.

No dia 28 de Janeiro às 18.41 recebo no meu computador uma mensagem de facebook do Sr. Beto com o seguinte conteúdo

Beto- boa tarde litos

Lito- então tudo dreto?

Lito- bo des de onti sta espera bu chamada bu ca ta flam nada.

Beto- Ontem quando telefonaste estava na reuniao com direcçao da FCF. Um dos assuntos era finalizar as questões de contratação da equipa tecnica para tudo estar preto no branco. Em relaçao à equipa técnica comuniquei que seria constituída por residentes. Beto, Djimmy, Bassana e Bera para GR. E em relação a si ficarias responsável pelo acompanhamento de caboverdeanos na diáspora e depois acertariam as condições desse acompanhamento. A equipa técnica com 5 elementos colocaria o problema da presença no banco de apenas 3 elementos o que poderia ser indesejável para algum. Abraço.

Parece-me óbvio que, isto não é um convite para integrar a equipa técnica da federação, mas sim para ser um observador na diáspora.

Mesmo assim, depois desta conversa liguei ao Sr. Vitor Osório, Presidente da FCF uma vez que não julgo ser este o meio correto para me ser comunicado que não faria parte da equipa técnica da seleção nacional.

O Sr. Vitor Osório não atendeu mas ligou-me de volta. Contei-lhe o que se passou e perguntei se julgavam ser esta a forma correta de me tratar. O Presidente da FCF recomendou-me calma, dizendo que iria falar com o selecionador porque a equipa técnica ainda não tinha sido apresentada. Ficou de me ligar de volta para conversar melhor comigo.

Até ao dia que decidi publicar a minha indignação no facebook, dia 09 de fevereiro, nunca mais fui contactado por ninguém da federação.

Inclusivamente enviei um email, no dia 08 de Fevereiro, ao Sr. Vitor Osório mostrando o meu desagrado pelo silêncio e também solicitando a resolução da questão do pagamento da tranche de 6 mil euros em falta, referente ao prémio de presença dos jogos da Can 2015 a que tínhamos direito- equipa técnica e jogadores (total de 18 mil euros dos quais me foram entregues somente 12 mil).

A este email, estranhamente o Sr. Presidente da Federação Caboverdiana de Futebol respondeu perguntando se eu tinha algum documento comprovativo do valor reclamado.

Ora, a minha relação com a federação cabo-verdiana de futebol sempre se regeu pela boa fé, e apesar das minhas insistências e das promessas feitas nunca houve uma base contratual, embora eu tenha desempenhado sempre todas as funções que me foram exigidas como elemento da equipa técnica da seleção cabo-verdiana de futebol. Tal pode ser comprovado pelo anterior selecionador Rui Águas e pelo seu adjunto direto Bruno Romão.

Como tal, estranho agora que o Sr. Vitor Osório venha invocar um contrato quando ele próprio sabe que a nossa relação esteve sempre baseada na palavra, na boa fé, no meu profissionalismo e no forte sentido de dedicação e amor à seleção que representei e da qual foi capitão durante mais de dez anos.

Quero desde já deixar bem claro que nunca tive nenhum problema com o professor Beto por quem sempre tive grande respeito e a quem desejo as maiores felicidades nesta nova etapa da sua carreira. Apenas repudio a forma como me foi comunicada a sua decisão relativamente à equipa técnica. Mais, afirmo que o meu desagrado vai para com o Presidente Vitor Osório que pelas suas constantes atitudes desde que chegou à FCF está a pôr em causa o trabalho construído durante vários anos e o caminho já alcançado pela nossa / minha ilustre seleção nacional.

Perante tudo isto não admito que a federação emita um comunicado onde põe em causa a minha honra e verdade, tendo por base a publicação feita na minha página pessoal de facebook e que nunca, em nenhum momento, tenha procurado chegar à fala comigo para solucionar as minhas questões pendentes e aquele que seria o meu papel na atual equipa técnica da Seleção Cabo Verdiana de Futebol.

Mais, afirmo que, o meu estatuto, objetivos e ambições profissionais não se coadunam com a função de observador na diáspora proposto pelo professor Beto.

Sem outro assunto

atenciosamente

Cláudio Aguiar (Lito)”

Nota de Imprensa

Conversations

comments

NO COMMENTS

Leave a Reply